Startup brasileira de combate ao bullying aprovada na Singularity University

Um relatório sobre a violência nas escolas feito pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) apontou que, globalmente, cerca de 150 milhões de estudantes já sofreram bullying no ambiente escolar. Foi diante desta realidade que nasceu a VOIX, uma startup que promete ajudar educadores a trabalhar temas sobre a aceitação da diversidade, como racismo, igualdade de gênero, religião e obesidade, por meio de um jogo físico que interage com um aplicativo que, por sua vez, possui um banco de dados com centenas de casos reais de preconceito. 

Quero captar fundos para meus projetos!

Fundada pelo cearense Marco Antônio Linhares, em janeiro, a VOIX foi aprovada no “Global Startup Program” da Singularity University (https://su.org/programs/global-startup-program/), instituição criada pelo Google e pela Nasa, que é o sonho dos mais respeitados cientistas, professores e mentes criativas do mundo. Localizada em um centro de pesquisas da Nasa, no Vale do Silício, o programa tem o objetivo de acelerar startups para criar modelos de negócio globais que resolvam grandes problemas da humanidade e impactem 1 bilhão de pessoas. Ele visa apoiar empresas que trabalhem em temas referentes aos “grandes problemas da humanidade”, seguindo a linha dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU.

Aqui um vídeo que fala mais sobre a Singularity University:

O programa já existe há 10 anos e passaram por ele apenas 693 participantes, dentre eles, Muhammad Yunus, ganhador do Prêmio Nobel da Paz pela criação de um banco que fornece microcrédito para as classes mais pobres da população. Desde então, o “Global Startup Program” já gerou mais de 1.000 inovações de impacto em mais de 45 países.

Na primeira fase, chamada ativação, que ocorre em Copenhagen, no campus de inovação da Singularity, o objetivo é repensar o negócio para que ele possa causar impacto global, criando uma estratégia exponencial para a startup. 

Já a segunda fase, chamada aceleração, que acontecerá no centro de pesquisas da NASA, no Vale do Silício, consistirá em um programa de aceleração, onde nos conectaremos com participantes e investidores do mundo todo para criar um plano de lançamento para atingir a escala de impacto na ordem do bilhão.

Quero captar fundos para meus projetos!

“Conheci a Singularity por conta de uma palestra em Campinas em que ex-participantes falavam da sua experiência no Global Startup Program. A partir desse dia, fiquei bastante interessado em participar e fui pesquisar mais a respeito da Universidade.

Os programas da Singularity são bem disruptivos, é algo que não existe em qualquer outro lugar. Eles falam de temas como exponencialidade. Tendemos a pensar de maneira mais linear. Quando vi aquilo, eu pensei: quero aprender mais sobre isso e entrar nesse mundo. Daí, no processo seletivo seguinte, fiz a inscrição e tive a felicidade de ser aprovado”, conta Linhares

Durante o processo seletivo, é preciso informar alguns dados sobre a startup, como qual problema ela resolve, em que estágio está (ideação / construção de MVP / tração) e o segmento de atuação. Não são aceitas ideias e é preciso demonstrar pelo menos um mínimo de tração para ser aceito. Além disso, é preciso enviar um material sobre cada participante, falar do seu histórico profissional, se já participou de outras startups. É analisado os valores e o sonho grande de cada membro da equipe e como a Singularity pode ajudá-los a chegar mais próximo desse objetivo.

“Nossa visão é ser a maior comunidade de empoderamento social do mundo. É criar um modelo que possa servir de referências para escolas poderem despertar o potencial de cada aluno, ajudá-los a chegar mais longe e reduzir a incidência de bullying em sala de aula e tantos casos de violência que ocorrem em escolas.

Ajudamos diretamente em 4 pilares dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis da ONU: educação, igualdade de gênero, redução das desigualdades e inovação”, afirma Linhares.

Para viabilizar a ida à Singularity University, no entanto, a VOIX precisa pagar o valor de $30 mil USD. O fundador da VOIX, Marco Antônio Linhares vendeu o seu carro e está vendendo várias outras coisas para ajudar a pagar as taxas do programa e foi aí que surgiu a ideia de criar uma campanha de financiamento coletivo na Kickante.

Para ajudar a VOIX a ir para a Singularity University, basta dar um kick na campanha aqui no Kickante:
https://www.kickante.com.br/campanhas/voix-na-singularity-university

Quero captar fundos para meus projetos!


Sobre Marco Linhares

Marco Antônio Linhares, natural de Fortaleza, é engenheiro e cientista de computação formado na Unicamp e apaixonado por empreendedorismo. Em 2016, teve a oportunidade de passar 3 semanas na Suíça desenvolvendo uma solução para a desigualdade de gênero, o que resultou na Voix, que consiste em ferramentas para trabalhar temas sobre a aceitação da diversidade, como racismo e igualdade de gênero, ajudando educadores a combater o bullying nas escolas e dar voz às pessoas que sofrem discriminação.

Quer receber mais conteúdos incríveis como esse gratuitamente?

Cadastre-se e receba artigos e dicas de nossos colunistas em seu e-mail.